• Novidades

    Pés Sem Dor cresce 55,5% em seu faturamento até o 3º trimestre e celebra 10 anos de sua fundação

    Com vendas batendo recorde e ultrapassando os R$ 31 milhões de faturamento até setembro, resultados apontam que busca pelo alívio da dor não sofre reflexo da situação econômica do país

    Scanner 3D | Foto: Divulgação

    Dados consolidados do faturamento nos primeiros nove meses deste ano mostram que a Pés Sem Dor registrou um crescimento de 55,5% nas vendas. Isso significa que, até o terceiro trimestre, foram vendidos mais de R$ 31 milhões em palmilhas e calçados ortopédicos desenvolvidos por meio de um processo exclusivo com escaneamento em 3D e inteligência artificial.

    Além disso, a empresa comemora dez anos de sua fundação, quando o executivo americano Thomas Case, conhecido no mercado por também ser o fundador da plataforma Catho, buscava uma solução para suas próprias dores. Hoje, a Pés Sem Dor é uma empresa que chega a faturar R$ 4 milhões em um mês.

    Os números da Pés Sem Dor apontam para um fenômeno na economia: o mercado que oferece soluções para o alívio de dores não sente o reflexo negativo do atual cenário econômico do país. Por exemplo, com dados acumulados de janeiro a agosto pelo IBGE, o varejo brasileiro em geral cresceu apenas 1,2% e o varejo de produtos farmacêuticos e ortopédicos teve variação positiva um pouco maior, mas ainda tímida, de 6,4% (dados de setembro ainda não consolidados).

    A tecnologia e processos exclusivos nos permitiram maior agilidade e precisão para atender com eficiência as necessidades de nossos clientes na luta contra a dor. Atualmente, estudos mostram que 90% dos brasileiros sofrem com algum tipo de dor nos pés que tem reflexo direto em sua qualidade de vida, conta Thomas Case, fundador da Pés Sem Dor.

    Pés Sem Dor desbravou um mercado inexplorado

    Thomas Case, fundador da Pés Sem Dor, na fábrica da empresa | Foto: Divulgação

    Em 2009, Thomas Case buscava uma solução para seus próprios problemas com a dor devido aos seus pés chatos, tornozelos desabados e problemas no joelho. A simples confecção de uma palmilha ortopédica sob medida conseguiu alcançar um alívio total. A partir dessa experiência e com sua visão empreendedora, avaliou que este poderia ser um mercado muito interessante, já que dores desse tipo são um problema comum na rotina das pessoas.

    Seu desafio na época era massificar o desenvolvimento e distribuição daquelas palmilhas até então produzidas de forma artesanal e, consequentemente, muito limitada. A partir desse propósito o negócio foi rapidamente estruturado com a realização de investimentos nas mais avançadas tecnologias de escaneamento digital, inteligência artificial e impressão 3D. Nascia então a Pés Sem Dor.

    Atualmente, são 55 pontos de avaliação e vendas onde trabalham 108 fisioterapeutas. A linha de produção que recebe um a um os pedidos totalmente personalizados é composta por 110 impressoras, formando o maior parque de impressoras 3D do Brasil. Um processo totalmente sustentável sem produção de resíduos e ainda sem poluição sonora.

    São diversos tipos de palmilhas, de acordo com seu uso, como as específicas para uso em tênis, chuteiras, sapatos de salto alto, chinelos, etc. Todas produzidas em filamentos de TPU (poliuretano termoplástico), um material que possui resistência e flexibilidade garantindo mais conforto e durabilidade.

    Nenhum comentário