• Novidades

    Método que utiliza disciplina positiva e análise transacional garante fluência em inglês e espanhol em apenas 140 horas de estudo

    Inserida em um segmento de mercado bastante vasto, a Park Idiomas cria método exclusivo que tem eficácia cinco vezes maior do que qualquer outro processo de ensino de idiomas

    Park Idiomas

    O inglês está cada vez mais presente no cotidiano das pessoas, isso porque as plataformas de streaming trouxeram aos brasileiros expressões em outros idiomas, que acabam sendo incorporadas à fala, tais como selfie, spoiler, love e outras. E embora tão frequente nas conversas por aí, sabe-se que atingir a fluência de um segundo idioma é um desejo de mais da metade da população. Um levantamento do Conselho Britânico revelou que apenas 1% dos brasileiros é verdadeiramente fluente em inglês e outros 4% se relacionam com a língua em vários estágios inferiores ao da fluência plena.

    É neste cenário que as escolas de idiomas crescem no Brasil. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), 6% do faturamento total do setor de educação, que em 2018 chegou a R$ 11,4 bi, é mérito desse segmento, que surfa na onda da ineficiência do ensino do inglês nas escolas de educação regular. Na maioria dos casos, o modelo lecionado em salas de aula é baseado apenas na leitura, enquanto outras habilidades, que também deveriam ser consideradas, como escrita, fala e audição, são negligenciadas. Ou seja, o que é ensinado não é suficiente para tornar o estudante apto a falar fluentemente. 

    O reflexo é a longo prazo, quando o jovem chega, enfim, ao mercado de trabalho. Um estudo realizado com diretores de recursos humanos pela Consultoria Robert Half revelou que, para 80% deles, saber falar e compreender o inglês é essencial aos aspirantes a cargos de gerência para cima. Para quem está atento a isso, o jeito agora é mesmo investir nas escolas de idiomas, que passaram a implementar metodologias cada vez mais efetivas para, mais do que reter o aluno, realmente ensiná-lo a falar.

    Apostando na  Análise Transacional, uma popular teoria da psicanálise que estuda a forma como as pessoas pensam, sentem e se comportam, e na psicologia positiva, que busca por meio das relações humanas encorajar e estimular o outro, a Park Idiomas tem chamado atenção nesse mercado. A metodologia aplicada pela rede, que além do inglês também disponibiliza o ensino de espanhol, oferece um aprendizado mais natural e intuitivo, em que os alunos começam a dialogar e só depois são apresentados às regras gramaticais, assim como acontece com as crianças quando são alfabetizadas. É por meio deste formato que os jovens e adultos vão garantindo a aquisição de um número cinco vezes maior de vocabulário e estruturas linguísticas.

    A Park Idiomas surgiu com a constatação de que apenas 2,5% dos brasileiros estudavam o inglês em escolas de idiomas. E, destes, apenas 5% aprendiam de forma efetiva a falar a língua. Estes números expressam que apenas 1 em 20 alunos adquirem fluência na língua estudada, resultado de uma herança das salas da aula prussianas e do uso de conceitos pedagógicos ultrapassados, afirma o CEO da rede, Paulo Arruda. 

    Através de estudos e testes criamos nosso próprio método que é ousado, inovador e torna nossos alunos fluentes em até 140 horas de estudo, complementa.

    Além disso, a escola oferece as aulas em um ambiente de descompressão, capaz de desrracionalizar o ensino do segundo idioma.

    É mais do que comprovado que quando aprendemos algo, seja um novo idioma ou uma tarefa, ela se torna mais eficaz quando é algo prazeroso e natural, comenta Arruda. 

    Por isso a rede aposta em ambientes leves, coloridos e bem diferentes das tradicionais salas de aula. Cadeiras e mesas dão lugar as poltronas e não há professores em frente ao quadro negro. Estes se sentam junto aos alunos, provocando, assim, um papo descontraído, sem que ele perceba que está já aprendendo.

    O aluno aprende a ganhar autoconfiança, com um aprendizado que foge do racional, pois é assim que se fala no dia a dia, sem pensar, garante o CEO. 

    A nossa proposta é dar dinamismo ao ensino e o objetivo é apenas um, que o estudante consiga falar, sem medo e sem os entraves conquistados por ele ao longo de sua vida, seja em outras escolas de idiomas ou durante o período escolar, finaliza o executivo. 

    Ao que tudo indica, a Park Idiomas caminha bem, já que nos últimos anos aumentou em média 65% a quantidade de alunos em suas unidades.  

    Nenhum comentário